• Português
  • Español
  • English

Novidades

Uso eficiente de fertilizantes é um dos responsáveis pelo aumento da produtividade

 

Brasil é um dos três maiores produtores agrícolas do mundo

Terceiro maior produtor agrícola do mundo, o Brasil é superado apenas pelos Estados Unidos e pela China no setor. Há uma expectativa que a colheita de grãos na safra de 2017/2018 atinja a marca de 229,5 milhões de toneladas, a maior da história. O crescimento da produtividade da maioria das culturas tem como componente importante o aumento no consumo e o uso mais eficiente de fertilizantes.

As plantas necessitam de, aproximadamente, dezesseis elementos químicos para sua nutrição, que são obtidos a partir do solo, do ar, da água ou de fertilizantes orgânicos e minerais. Os fertilizantes orgânicos aplicados ao solo sofrem transformações que induzem à formação de uma mistura complexa de compostos em diferentes estágios de decomposição, que é conhecida como matéria orgânica do solo.

Os fertilizantes podem ser orgânicos, inorgânicos, sólidos ou líquidos e, após a realização da amostragem, é necessário reduzir a quantidade de amostra para que elas possam ser enviadas ao laboratório de análises. As porções coletadas e recolhidas em recipiente limpo e seco devem ser bem homogeneizadas, antes de serem reduzidas por quarteação a porções menores. A quarteação de fertilizantes sólidos pode ser realizada com o equipamento Quarteador tipo Jones.

Do ponto de vista do processo produtivo N, P e K são os nutrientes mais importantes. Para os fertilizantes minerais sólidos, após a redução da quantidade da amostra para ser utilizada na análise, deve-se separar em duas frações iguais. Uma delas será utilizada na análise granulométrica e a outra na análise química, que deve ser moída e passada em peneiras com aberturas de 0,84 mm para fertilizantes simples ou mistura úmida e 0,42 mm para fertilizantes secos com tendência a segregar. Esta moagem pode ser realizada com o equipamento Moinho TE-634/1, e as peneiras de acordo com o método.

ANÁLISE DE FERTILIZANTES – O processo de análise de fertilizantes é iniciado pela coleta de amostra no local de produção, armazenamento ou utilização do produto. A amostragem deve ser representativa e coletada corretamente. Para fertilizantes, corretivos, inoculantes e biofertilizantes, os procedimentos de amostragem são definidos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), na instrução normativa n°10.

Para fertilizantes organominerais, após a quarteação (reduzindo a mais ou menos 200g), deve-se colocar aproximadamente 175g de amostra em estufa, na temperatura de 65°C por 16 horas, ou até peso constante. A estufa pode ser a TE-394/1 ou, dependendo da quantidade de amostra, a TE-394/2, TE-394/3 ou TE-394/4. Após secagem, a amostra deve ser mantida em dessecador até seu resfriamento. Pode ser usado neste caso, o TE-3950 – Dessecador.

Nos fertilizantes minerais sólidos, após quarteamento, e nos fertilizantes organominerais após secagem e quarteamento, uma parte da amostra é utilizada para análise granulométrica, em que é necessário o uso de peneiras e de um agitador eletromagnético de peneiras, como o Modelo B-Agit.

SAIBA MAIS – Para saber mais sobre os equipamentos para análise de fertilizantes, baixe já o material completo e exclusivo sobre o tema.

 

 

Tecnal-Inbound-CTA-Ebook
 

Veja Também